Pedra nos Rins e Dor Lombar

Pedras nos rins - ou cálculos renais - representam uma das doenças mais comuns nos dias atuais. Levantamentos estatísticos indicam que até 12% da população brasileira terá pedras nos rins em algum momento da vida. Como as pessoas facilmente confundem dor lombar com dor devida a cálculo renal, resolvi escrever sobre a diferença.

Como causas, podemos citar diversas, por exemplo, os fatores ambientais e culturais, estabelecendo uma possível relação com o aquecimento global e à temperatura elevada que transformam cidades em ilhas de calor. Assim como hábitos alimentares inadequados também têm contribuído para o crescente número de casos. No entanto, a principal causa ainda têm sido a predisposição genética, seguida de infecções urinárias por bactérias produtoras de cálculos, distúrbios metabólicos e alterações anatômicas.

O mecanismo comum a todos os casos é a hipersaturação (hiperconcentração) da urina por sais como oxalato, fosfato, cálcio e ácido úrico, que provocam a precipitação de cristais microscópicos que se combinam até formar as pedras.

A presença das pedras pode passar despercebida, sem sintomas, mas pode também provocar dor muito forte que começa nas costas e se irradia para o abdômen em direção da região inguinal. É uma dor que se manifesta em cólicas, isto é, com um pico de dor intensa seguido de um certo alívio. Em geral, essas crises podem ser acompanhadas por náuseas, vômitos, suspensão do fluxo urinário ou necessidade mais freqüente de urinar. Além das evidências clínicas (dor intensa e sinais de sangue na urina), cálculos renais podem ser diagnosticados por Raios X de abdômen, ultra-som ou pela urografia excretora, um exame mais específico das vias urinárias.

Durante o tratamento, ao contrário do que se recomendava no passado, deve ser evitada a ingestão exagerada de líquidos. Líquido em excesso pode aumentar a pressão da urina no rim e, conseqüentemente, aumentar as dores. Medicamentos podem ser indicados apenas pelo médico levando em conta a causa da formação dos cálculos. Durante as crises, é indicado o uso de analgésicos e antiinflamatórios potentes para aliviar a dor que é extremamente forte, além de métodos como Litotripsia, Cirurgia percutânea ou endoscópica e Ureteroscopia.

Para que você não tenha problemas com pedras, aí vão algumas recomendações: beba muita água regularmente, controle a ingestão de alimentos ricos em proteínas e cálcio, assim como alimentos industrializados (congelados, refrigerantes, sucos de caixinha, embutidos, conservas e sanduíches), não se automedique nem faça o próprio diagnóstico. Procure atendimento médico, especialmente se tiver dores intensas nas costas ou no abdômen e sinais de sangue na urina. Excluindo essas possibilidades, se seu problema for realmente na coluna, procure um Quiropraxista.

Priscila Frietzen

Quiropraxista ABQ 262

Formulário de Contato
* campo obrigatório