Dor nos Ombros e Pescoço

Com o avanço da modernidade, temos passado mais tempo na frente dos computadores, dentro do carro, em engarrafamentos gigantescos e, quando chegamos em casa para descansar, é bem provável que a maioria se atire de qualquer jeito no sofá e fique fazendo força para assistir televisão. Alguma dúvida de que não há ombro que aguente?

O trapézio (aquele músculo que se origina nos ombros e vai até o meio das costas em forma de triângulo) é o músculo mais mal utilizado do corpo. Principalmente se você for sedentário e cultivar por longos períodos de tempo uma má-postura. A cabeça, quando está pendente (ou seja, quando simplesmente a largamos, sem nos preocuparmos em manter a coluna alinhada), age como se tivesse um peso de 15 kg pressionando o trapézio para baixo. No entanto, se a cabeça estiver alinhada com o pescoço, este peso é de somente 3 kg.

Muitas pessoas mantêm uma postura errada por longos períodos de tempo, no trabalho e nas tarefas de casa, submetendo o trapézio a um estresse crônico. Se você sente dores constantes, precisa fazer alguns exames, porque afinal de contas, os diagnósticos podem ser vários e, para cada um, é necessário tomar providências diferenciadas. Hérnias ou abaulamentos de disco, desidratação discal, estenose (ou diminuição do canal da medula), pinçamentos nervosos, tendinites, bursites, fibromialgia, estresse, tendinopatias, entre outros, são alguns dos problemas que podem ser apresentados e normalmente têm as mesmas conseqüências: dor local ou irradiada para os braços, formigamentos, cãimbras, choques, perda de força, etc.

Caso você tenha diagnosticado e procurado um profissional especializado para te ajudar, comece a incorporar alguns bons hábitos no seu cotidiano, como por exemplo: evite inclinar-se para realizar um trabalho (levante sua mesa ou abaixe a cadeira para permitir que a coluna e a cabeça fiquem alinhadas), evite deitar no chão ou de qualquer jeito no sofá para assistir televisão. Evite ler na cama com o travesseiro embaixo da cabeça. Utilize travesseiros com curvaturas especiais para a largura do seu ombro - que permitam que a cabeça fique paralela ao colchão. Exercite uma boa postura diária e alongue-se várias vezes ao dia. Arranje uma cadeira com encosto alto, isso dará melhor apoio para o pescoço e os ombros. Se o seu trabalho envolve muito tempo ao telefone, considere o uso de fones de ouvido, que deixam o pescoço livre e exercite-se regularmente.

Observando esses pequenos detalhes e fazendo algumas modificações básicas no seu dia-a-dia, com certeza, sentirá uma melhora significativa. Mas se ainda assim você sentir a necessidade de uma análise especializada, procure um Quiropraxista, ajuste-se e mantenha o seu corpo o mais saudável possível.

Priscila Frietzen

Formulário de Contato
* campo obrigatório